O Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo (PSAA), por Mª Raquel Lucas

Universidade de Évora | Semanário Registo

Sustentabilidade

A sustentabilidade é um ponto cada vez mais central nas cadeias de valor em todo o mundo e, um tema basilar na orientação empresarial, no planeamento das estratégias e políticas públicas e na motivação da decisão de compra por parte dos consumidores. Segundo a definição mais conhecida de desenvolvimento sustentável do Relatório Brundtland: “desenvolvimento que atende às necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras para atender às suas próprias necessidades”, a sustentabilidade está vinculada a crescimento económico, equidade social, segurança alimentar e ecologia (proteção dos recursos naturais). Contudo, a complexidade e amplitude do conceito e as suas dimensões e facetas específicas, fazem com que este possa ser vago, analisado e interpretado sob diferentes perspetivas e, um grande desafio atual pela dificuldade de aplicação em termos práticos.

Embora muitos dos fenómenos químicos e físicos relacionados à sustentabilidade possam ser genericamente quantificáveis, outros, como as questões sociais, culturais, ambientais e paisagísticas (valores imateriais), são subjetivos e podem ser afetados por condições territoriais particulares. Daí a importância de definir os elementos-chave da sustentabilidade do azeite do Alentejo, um processo que embora complexo, servirá de guia técnico para sistemas de gestão socioeconómica e ambientalmente cada vez mais sustentáveis, ligados a uma produção de qualidade premium e a um contexto reconhecido e remunerado de conservação da biodiversidade em conformidade com as disposições do New Green Deal da União Europeia e da Agenda 2030 das Nações Unidas. Para tal está a ser desenvolvido o Programa de Sustentabilidade do Azeite do Alentejo (PSAA), um projeto recentemente aprovado que tem como principal promotor a Olivum – Associação de Olivicultores e Lagares de Portugal, em parceria com a Universidade de Évora e a CONSULAI.

No caso da equipa de investigadores da Universidade de Évora, o PSAA vem na esteira das lições aprendidas com o PSVA (Programa de Sustentabilidade dos Vinhos do Alentejo), que segue a mesma filosofia, princípios e propósitos de apoiar a melhoria do desempenho ambiental, social e económico das principais atividades relevantes da região (neste caso o azeite), promovendo o conhecimento e o reconhecimento do desempenho da sustentabilidade como ferramenta de resposta às oportunidades e necessidades do mercado e de afirmação global da marca Alentejo. À equipa multidisciplinar da Universidade de Évora e ao conhecimento e experiência com o PSVA, foram agregados especialistas noutras áreas, como as do Património Natural e Cultural, da Biodiversidade e da Neutralidade Climática.

O setor do azeite na região, embora conhecido pelos investimentos relevantes na modernização e nos bons resultados e rendimentos produtivos e qualitativos, na aposta em novas tecnologias e energias renováveis e, no incentivo à criação de emprego, enfrenta desafios urgentes relacionados à promoção da competitividade através de melhores práticas e agregação de valor de mercado, e de uma comunicação inteligente que progrida a imagem e valor do Azeite Alentejano, com referência a todos os pilares da sustentabilidade. Os principais objetivos do PSAA são: i) apoiar todos os stakeholders na melhoria do desempenho ambiental, social e económico da olivicultura; ii) promover a sustentabilidade dos azeites na região e o seu reconhecimento no mercado; e iii) desenvolver uma ferramenta para induzir, medir e monitorizar o desempenho da sustentabilidade do azeite alentejano e satisfazer a procura do mercado. O referencial de sustentabilidade do Azeito do Alentejo, as distintas áreas de intervenção e os diferentes critérios e níveis de sustentabilidade, estão a ser definidos no âmbito do PSAA, num trabalho conjunto e numa abordagem participativa e inclusiva da Academia (Universidade de Évora), da Olivum e seus associados, da CONSULAI e de outros agentes económicos, entidades, investigadores e interessados na temática. Identificar necessidades e oportunidades de cooperação e de coopetição que fomentem um ambiente favorável de negócios e induzam competitividade e adição de valor, são objetivos adicionais do PSAA. Ter um certificado de qualidade que ateste que os azeites da região são produzidos de forma sustentável nas dimensões económico-social-ambiental, que contribuem para o desenvolvimento regional e que são reconhecidos e valorizados nos mercados pelas boas práticas é o propósito final do PSAA.

Novembro 30, 2022

Morada

Rua Blasco Hugo Fernandes n.º3, 7800-591 Beja

Siga-nos